June 11 2014

Dafna Obadia

Rastreadores e segurança familiar: uma política de independência responsável

300x250

Descubra por que razão os rastreadores de veículos podem ser importantes ferramentas educativas no contexto familiar.

Muitas são as pessoas que, pelas mais diversas razões, recorrem aos rastreadores para se manterem informadas e controlar tudo o que concerne ao seu automóvel. No entanto, as pesquisas e informações atuais mostram que, para além do segmento corporativo (clientes core do mercado dos rastreadores por excelência), também as famílias se têm tornado um nicho consumidor cada vez maior no que diz respeito a esse produto.

Para além do controle face ao paradeiro do automóvel, existe uma tendência para que as famílias e adquiram e façam uso do rastreador para implementar modelos de educação positiva no seu interior: a título de exemplo, uma das situações mais emergentes remete à adoção do rastreador nos automóveis familiares quando os utilizadores são os filhos jovens.

Além de monitorarem a localização do veículo e a velocidade a que o mesmo circula, os pais e educadores fazem uso do rastreador quando emprestam o carro aos filhos para aferirem o percurso realizado e se manterem vigilantes com relação à sua segurança. Nesse sentido, o rastreador deixa de assumir uma função meramente controladora para se tornar um instrumento de educação responsável e positiva, substituindo outros métodos mais tradicionalistas utilizados nos processos de formação e de educação para a cidadania que têm lugar dentro da própria casa.

A apologia do uso do rastreador nessa política de independência consciente leva a que tanto o educador como o educando desenvolvam uma relação bilateral de confiança, sabendo que o equipamento não constitui um instrumento de vigilância de caráter totalitarista e punitivo mas sim de responsabilização do utilizador do veículo. Por conseguinte, o rastreador pode – e deve! – ser encarado como um acessório que gera valor não só para o utilizador como também para os restantes membros da família, passível de aumentar a coesão, a honestidade e o diálogo entre si.

Posto isto, o uso do rastreador deve ser incentivado nessas circunstâncias, sendo que é importante para a família aferir a importância da sua utilização no seu cotidiano, até mesmo na proteção contra ações negativas cometidas por terceiros (nomeadamente assaltos, acidentes e outros eventos pouco agradáveis). Levando em consideração que a aquisição de um rastreador representa um investimento para o futuro, é útil que a família participe conjuntamente da sua escolha e se interesse por explorar as suas potencialidades, tirando o melhor partido possível desse dispositivo tecnológico na partilha de experiências que conduzam a um processo de crescimento sólido e contínuo tanto individual quanto coletivo.

Sobre o autor: Dafna Obadia

Dafna Obadia, escritora e assistente virtual, brasileira, paraense e natural da cidade de Belém. É amante do conhecimento, por isso, vem agregando ao seu embasamento acadêmico os cursos de Licenciatura em Letras (Língua Portuguesa / Língua Inglesa) na Universidade Anhanguera, Bacharelado em Direito na Universidade da Amazônia e Licenciatura em Música na Universidade do Estado do Pará. Sua meta atual é mergulhar no mundo da Tecnologia da Informação.


Discussão

Sem comentários. Seja o primeiro a responder!

Postar um comentário

Os comentários estão encerrados.